sábado, 21 de julho de 2012

Apatia Espiritual


Se te sentes envolver por um processo de apatia espiritual que te consome as melhores energias, fazendo-te desalentar diante das obrigações cotidianas, não te entregues a semelhante estado d’alma na expectativa de que alguém possa subtrair-te a ele sem contar com o teu esforço.

Quem se rende à depressão sem lutar contra ela dificilmente conseguirá libertar-se de seus tentáculos.

Para que uma força se anule, é necessário que se lhe oponha uma força contrária, da mesma intensidade.

Se desejas combater a tristeza, alegra-te.

Se queres vencer os pensamentos sombrios que te povoam a mente, ocupa o teu cérebro com ideias nobres.

O único remédio de prescrição eficaz contra a apatia espiritual é o trabalho, especialmente o trabalho desinteressado em favor dos semelhantes.

Não esperes pelo fortalecimento físico a fim de te fortaleceres moralmente, porque, não raro, o abatimento orgânico é consequência de tua prostração espiritual diante da vida.

Levanta-te em espírito e, contigo, o teu corpo haverá de soerguer-se.

Os outros poderão sempre orientar-te e estender-te as mãos, mas, se não manejares a tua própria vontade no âmago do ser, permanecerás no chão a que, voluntariamente, te arrojaste, vencido pelo peso imaginário de tuas aflições.

Ora e confia em Deus mas, sobretudo, derrama o suor do trabalho digno, desentorpecendo a alma na alegria de ser útil à vida que espera, em toda parte, pelo concurso de tuas mãos.
***************
Irmão José





Um comentário:

  1. Estava pesquisando imagens para o meu blog e vim parar nesta página! Que graça! Fiquei feliz de saber que não estou sozinha na luta!!! Vejo muita gente com depressão na internet e que gosta de se entregar, quando na verdade precisamo de nossa força interior, gostei muito da mensagem do dia, e é claro da postagem, vou vir sempre, e já estou indicando para pessoas queridas que sei que vão perpetuar este blog que é muito útil!
    http://adoispolosdoparaiso.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.