sexta-feira, 28 de março de 2014

LIÇÕES HUMANAS







Emmanuel



Enquanto na Terra, muito raramente, pensamos na dor na condição de recurso educativo.

Em nosso egoísmo, interpretamos qualquer sofrimento por equação da lei de causa e efeito, como se não tivéssemos necessidade de experiências e lições.

Entretanto, sem disciplina, que muitos aprendizes consideram sacrifício ou flagelação, que seria da escola?

Sem o progresso da cirurgia para cortar o tecido enfermo, como prolongar a vida no corpo doente, quando a possibilidade da sobrevivência aparece?

Se não atravessássemos essa ou aquela moléstia de trato difícil, provavelmente não entenderíamos a linguagem atormentada de irmãos doentes outros, quando nos reclamam paciência e carinho.

Não sofrêssemos no mundo a perda de um ente amado, ante as exigências da morte física, e talvez ignorássemos a maneira de reconfortar os amigos que se reconhecem esmagados de pranto, quando a morte lhes visita os recessos do lar.

Embora reconheçamos que ninguém necessita cair, a fim de aprender a estar de pé, muitos irmãos nossos se manteriam de coração frio e orgulhoso, diante dos companheiros tombados em erro ou delinqüência, se também eles não resvalassem no chão de quedas desastrosas, com o que adoçam a própria alma, entendendo quanto doem as feridas do remorso e os aguaceiros de lágrimas, no espírito dos irmãos necessitados de reequilíbrio, a pedirem tolerância e respeito.

Se até agora não carregaste feridas de decepção que te marcaram a alma; se não suportaste ainda injúrias e agravos; se desconheces quanto nos amargam as conseqüências de uma falta cometida; se não passaste ainda pela necessidade de pedir o perdão de alguém por algum erro pelo qual te observas responsável; e não sabes até agora quanto custa a passagem por estradas de pedregulho e fel, trabalhando e servindo sempre, sem levar em conta os teus próprios sofrimentos; se, em suma, tiveres vivido, até hoje, sem contato com tribulações e dificuldades, que se fazem valiosas lições humanas, talvez que a tua elevação, por mais rica de palavras e por mais lindamente decorada de gestos felizes, nos dias de exame que chegam inevitavelmente para cada um de nós, através das provas necessárias, não passe de simples ingenuidade.

Emmanuel - Francisco Cândido Xavier - Livro Inspiração

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário.