quarta-feira, 3 de junho de 2020

Conselhos


O conselho somente terá valor se
estiveres disposto a seguí-lho. Quando estejas com  dificuldadeem qualquer assunto, recorre a uma pessoa mais experiente, mais bem equipada, pedindo-lhe ajuda e orientação. Todavia, não leves a tua própria opinião, tentando prová-la verdadeira.

Ouve com cuidado, reflexiona e, depois,
toma a decisão que te pareça
mais acertada.

Por outro lado, não faças ouvidos
moucos às orientações e conselhos que
te dêem ou que busques.

"Examina tudo e retém o que é bom",
ensina o Apóstolo, em
nome do Bem.
🌺🌷🌺
Joanna de Ângelis
Divaldo Franco



MENSAGEM DO ESE:

A fé e a caridade

Disse-vos, não há muito, meus caros filhos, que a caridade, sem a fé, não basta para manter entre os homens uma ordem social capaz de os tornar felizes. Pudera ter dito que a caridade é impossível sem a fé. Na verdade, impulsos generosos se vos depararão, mesmo entre os que nenhuma religião têm; porém, essa caridade austera, que só com abnegação se pratica, com um constante sacrifício de todo interesse egoístico, somente a fé pode inspirá-la, porquanto só ela dá se possa carregar com coragem e perseverança a cruz da vida terrena.
Sim, meus filhos, é inútil que o homem ávido de gozos procure iludir-se sobre o seu destino nesse mundo, pretendendo ser-lhe licito ocupar-se unicamente com a sua felicidade. Sem dúvida, Deus nos criou para sermos felizes na eternidade; entretanto, a vida terrestre tem que servir exclusivamente ao aperfeiçoamento moral, que mais facilmente se adquire com o auxílio dos órgãos físicos e do mundo material. Sem levar em conta as vicissitudes ordinárias da vida, a diversidade dos gostos, dos pendores e das necessidades, é esse também um meio de vos aperfeiçoardes, exercitando-vos na caridade. Com efeito, só a poder de concessões e sacrifícios mútuos podeis conservar a harmonia entre elementos tão diversos.
Tereis, contudo, razão, se afirmardes que a felicidade se acha destinada ao homem nesse mundo, desde que ele a procure, não nos gozos materiais, sim no bem. A história da cristandade fala de mártires que se encaminhavam alegres para o suplício. Hoje, na vossa sociedade, para serdes cristãos, não se vos faz mister nem o holocausto do martírio, nem o sacrifício da vida, mas única e exclusivamente o sacrifício do vosso egoísmo, do vosso orgulho e da vossa vaidade. Triunfareis, se a caridade vos inspirar e vos sustentar a fé. — Espírito protetor. (Cracóvia, 1861.)


(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XI, item 13.)

🌷🌺🌷🌺🌷

PESSIMISMO E SOFRIMENTO



Em nossas anotações iniciais, comentamos quanto ao perigo em aceitar com adoração as nossas enfermidades e dores.


Comportando-nos dessa maneira transferimos a enfermidade para o nosso perispírito e aí, haja séculos para adquirir a cura. É oportuno, a título de informação, transcrever o que o caro Chico Xavier nos respondeu em 1984, quando lhe perguntamos: "Chico, como é que você está de saúde?"


— Estou bem! - respondeu-nos. - Apesar dos vinte e dois comprimidos diários que tomo, vou bem de saúde!... Se eu ficar falando que estou doente, que não estou bem, começam a dizer por aí: O Chico está doente. Ele não está bem. Está com tal ou qual enfermidade. Vão dizendo assim e se a gente acreditar, acaba adquirindo a doença!


Para melhor nos inteirarmos da gravidade do assunto, recorramos à orientação dos benfeitores espirituais: "Há sofredores inveterados que outra coisa não demandam além do sofrimento, pessimistas que se enclausuram em nuvens negras, atendendo a propósito deliberado, durante séculos. Suprem a mente de torturas contínuas e não pretendem construir senão a piedade alheia, sob a qual se comprazem." 
******************************
(Emmanuel / Francisco Cândido Xavier - prefácio do livro "Vinha de Luz" - FEB)


E também com André Luiz, em "Os Mensageiros", capítulo 43 (FEB), psicografado por Chico Xavier, anotamos: "Ora, desse modo, quem cultivou a enfermidade com adoração, submeteu-se-lhe ao império. É lógico que devemos, quando encarnados, prestar toda a assistência ao corpo físico, que funciona, para nós, como vaso sagrado, mas remediar a saúde e viciar a mente, são duas atitudes essencialmente antagônicas entre si."
*******************************
Do Livro "Lembranças de Grandes Lições" - Cezar Carneiro
Capítulo " PESSIMISMO E SOFRIMENTO "

terça-feira, 2 de junho de 2020

Tua saúde


Insiste na preservação da tua saúde.

Muitas enfermidades têm origem no
temperamento desajustado, nas emoções
em desalinho, em influências
espirituais negativas.

A ansiedade, o medo, o pessimismo, a ira,
o ciúme, o ódio, são responsáveis por
males que ainda não se encontram
catalogados, prejudicando a saúde
física, emocional e mental.

Esforça-te por permanecer em paz,
cultivando os pensamentos bons,
que te propiciarão inestimáveis benefícios.

Conforme preferires mentalmente,
assim te será a existência.

🌷🌺🌷
Joanna de Ângelis
Divaldo Franco












MENSAGEM DO ESE:

Deve-se expor a vida por um malfeitor?

Acha-se em perigo de morte um homem; para o salvar tem um outro que expor a vida. Sabe-se, porém, que aquele é um malfeitor e que, se escapar, poderá cometer novos crimes. Deve, não obstante, o segundo arriscar-se para o salvar?

Questão muito grave é esta e que naturalmente se pode apresentar ao espírito. Responderei, na conformidade do meu adiantamento moral, pois o de que se trata é de saber se se deve expor a vida, mesmo por um malfeitor. O devotamento é cego; socorre-se um inimigo; deve-se, portanto, socorrer o inimigo da sociedade, a um malfeitor, em suma. Julgais que será somente à morte que, em tal caso, se corre a arrancar o desgraçado? É, talvez, a toda a sua vida passada. Imaginai, com efeito, que, nos rápidos instantes que lhe arrebatam os derradeiros alentos de vida, o homem perdido volve ao seu passado, ou que, antes, este se ergue diante dele. A morte, quiçá, lhe chega cedo demais; a reencarnação poderá vir a ser-lhe terrível. Lançai-vos, então, ó homens; lançai-vos todos vós a quem a ciência espírita esclareceu; lançai-vos, arrancai-o à sua condenação e, talvez, esse homem, que teria morrido a blasfemar, se atirará nos vossos braços. Todavia, não tendes que indagar se o fará, ou não; socorrei-o, porquanto, salvando-o, obedeceis a essa voz do coração, que vos diz: “Podes salvá-lo, salva-o!” 

— Lamennais. (Paris, 1862.)

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XI, item 15.)

🌺🌷🌺

CHEGARÁ O MOMENTO


Talvez não acredites nas palavras de quem, preocupado com a tua paz e felicidade, sempre esteja a te orientar para o Bem.

Talvez duvides da nobre intenção de quem, com paciência, te aconselhe seguidas vezes a respeito do melhor caminho a ser tomado.

Talvez, em silêncio, vivas a questionar o propósito de quem insista contigo para que te livres do vício que se te revela altamente prejudicial à saúde.

Talvez não dês crédito ao amigo mais experiente e sofrido que, tão-somente, pretende evitar que venhas a sofrer as decepções que ele já sofreu em demasia.

Contudo, sempre chegará o momento em que te arrependerás de não te teres valido dos alertas com que a Providência Divina te favoreceu, antes que a tua situação se agravasse e te induzisse a maiores padecimentos.
*****************************
Irmão José (psic. Carlos Baccelli – do livro “Amai-vos uns aos outros”) 

segunda-feira, 1 de junho de 2020

Os maus companheiros



Seleciona as tuas companhias.

Os maus companheiros tornam-se
presenças inconvenientes na tua vida e
perturbam-te a marcha.

Ninguém é tão independente e pleno que
não corra o perigo de contaminar-se,
com aqueles que estagiam e se comprazem nadelinquência ou na insensatez viciosa.

Sê gentil com os maus e estúrdios,
porém, não te imiscuas com eles,
seu comportamento, suas atividades
e filosofia de vida.

As enfermidades morais também
contagiam os incautos que delas
se aproximam.

🌺🌷🌺

Joanna de Ângelis
                         Divaldo Franco













MENSAGEM DO ESE:


Verdadeira pureza. Mãos não lavadas

Então os escribas e os fariseus, que tinham vindo de Jerusalém, aproximaram-se de Jesus e lhe disseram: “Por que violam os teus discípulos a tradição dos antigos, uma vez que não lavam as mãos quando fazem suas refeições?”

Jesus lhes respondeu: “Por que violais vós outros o mandamento de Deus, para seguir a vossa tradição? Porque Deus pôs este mandamento: Honrai a vosso pai e a vossa mãe; e este outro: Seja punido de morte aquele que disser a seu pai ou a sua mãe palavras ultrajantes; e vós outros, no entanto, dizeis: Aquele que haja dito a seu pai ou a sua mãe: Toda oferenda que faço a Deus vos é proveitosa, satisfaz à lei, — ainda que depois não honre, nem assista a seu pai ou à sua mãe. Tornam assim inútil o mandamento de Deus, pela vossa tradição.

Hipócritas, bem profetizou de vós Isaías, quando disse: Este povo me honra de lábios, mas conserva longe de mim o coração; é em vão que me honram ensinando máximas e ordenações humanas.”

Depois, tendo chamado o povo, disse: “Escutai e compreendei bem isto: — Não é o que entra na boca que macula o homem; o que sai da boca do homem é que o macula. — O que sai da boca procede do coração e é o que torna impuro o homem; — porquanto do coração é que partem os maus pensamentos, os assassínios, os adultérios, as fornicações, os latrocínios, os falsos-testemunhos, as blasfêmias e as maledicências. — Essas são as coisas que tornam impuro o homem; o comer sem haver lavado as mãos não é o que o torna impuro.” Então, aproximando-se, disseram-lhe seus discípulos: “Sabeis que, ouvindo o que acabais de dizer, os fariseus se escandalizaram?” — Ele, porém, respondeu: “Arrancada será toda planta que meu Pai celestial não plantou. — Deixai-os, são cegos que conduzem cegos; se um cego conduz outro, caem ambos no fosso.” (S. Mateus, cap. XV, vv. 1 a 20.)

Enquanto ele falava, um fariseu lhe pediu que fosse jantar em sua companhia. Jesus foi e sentou-se à mesa. — O fariseu entrou então a dizer consigo mesmo: “Por que não lavou ele as mãos antes de jantar?” Disse-lhe, porém, o Senhor: “Vós outros, fariseus, pondes grandes cuidado em limpar o exterior do copo e do prato; entretanto, o interior dos vossos corações está cheio de rapinas e de iniqüidades. Insensatos que sois! aquele que fez o exterior não é o que faz também o interior?” (S. LUCAS, cap. XI, vv. 37 a 40.)

Os judeus haviam desprezado os verdadeiros mandamentos de Deus para se aferrarem à prática dos regulamentos que os homens tinham estatuído e da rígida observância desses regulamentos faziam casos de consciência. A substância, muito simples, acabara por desaparecer debaixo da complicação da forma. Como fosse muito mais fácil praticar atos exteriores, do que se reformar moralmente, lavar as mãos do que expurgar o coração, iludiram-se a si próprios os homens, tendo-se como quites para com Deus, por se conformarem com aquelas práticas, conservando-se tais quais eram, visto se lhes ter ensinado que Deus não exigia mais do que isso. Daí o haver dito o profeta: É em vão que este povo me honra de lábios, ensinando máximas e ordenações humanas.

Verificou-se o mesmo com a doutrina moral do Cristo, que acabou por ser atirada para segundo plano, donde resulta que muitos cristãos, a exemplo dos antigos judeus, consideram mais garantida a salvação por meio das práticas exteriores, do que pelas da moral. É a essas adições, feitas pelos homens à lei de Deus, que Jesus alude, quando diz: Arrancada será toda planta que meu Pai celestial não plantou.

O objetivo da religião é conduzir a Deus o homem. Ora, este não chega a Deus senão quando se torna perfeito. Logo, toda religião que não torna melhor o homem, não alcança o seu objetivo. Toda aquela em que o homem julgue poder apoiar-se para fazer o mal, ou é falsa, ou está falseada em seu princípio. Tal o resultado que dão as em que a forma sobreleva ao fundo. Nula é a crença na eficácia dos sinais exteriores, se não obsta a que se cometam assassínios, adultérios, espoliações, que se levantem calúnias, que se causem danos ao próximo, seja no que for. Semelhantes religiões fazem supersticiosos, hipócritas, fanáticos; não, porém, homens de bem.

Não basta se tenham as aparências da pureza; acima de tudo, é preciso ter a do coração.

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo)
🌷🌺🌺🌷🌺

Preocupações



Não se aflija por antecipação, porquanto é possível que a vida resolva o seu problema, ainda hoje, sem qualquer esforço de sua parte.

Não é a preocupação que aniquila a pessoa e sim a preocupação em virtude da preocupação.

Antes das suas dificuldades de agora, você já faceou inúmeras outras e já se livrou de todas elas, com o auxílio invisível de Deus.

Uma pessoa ocupada em servir nunca dispõe de tempo para lembrar injúria ou ingratidão.

Disse um notável filósofo: "uma criatura irritada está sempre cheia de veneno", e podemos acrescentar: "e de enfermidade também".


Trabalhe antes, durante e depois de qualquer crise e o trabalho garantirá sua paz.

Conte as bênçãos que lhe enriquecem a vida, em anotando os males que porventura lhe visitem o coração, para reconhecer o saldo imenso de vantagens a seu favor.

Geralmente, o mal é o bem mal-interpretado.

Em qualquer fracasso, compreenda que se você pode trabalhar, pode igualmente servir, e quem pode servir carrega consigo um tesouro nas mãos.

Por maior lhe seja o fardo do sofrimento, lembre-se de que Deus, que aguentou você ontem, aguentará também hoje. 

****************************
Autor: André Luiz

Psicografia de Chico Xavier. Do livro: Sinal Verde

domingo, 31 de maio de 2020

O Sofrimento Alheio

‌O bonde deslizava em marcha regular, mas Belarmino Cintra, sentado no quinto banco, extravasava desespero.
‌Parecia não ver os carros que buzinavam, nem o casario em torno, nem circunstantes, nem a chuva garoenta.
‌Ele só era excitação.
‌Ele só era mágoa.
‌Aguardava a promoção por onze anos de trabalho correto na repartição e era funcionário a mais de vinte. Esforçara-se, renunciando a facilidades diversas, pensando na melhoria.
‌No momento exato, porém, a melhoria alcançara outro que, a seu ver, não correspondera.
‌Indignado, escrevera uma carta ao chefe, ameaçando-o com um inquérito escandaloso, e o chefe chamara-o ao gabinete para entendimento pessoal.
‌Sentia-se desanimado, infeliz.
‌Era pai de família. Esposa e quatro filhos. Não tinha débitos a solver, mas nenhum vintém no pé-de-meia.
‌No fim do mês, era sempre a mesma situação. Contas pagas e bolso vazio.
‌Achava-se, por isso, inconformado, revoltado...
‌Não suportaria qualquer advertência.
‌Armara-se. Se o chefe lhe desconsiderasse a atitude, reagiria...
‌O veículo pára por dois longos minutos, esperando por outro no entroncamento. E Belarmino, relanceando os olhos, é quase obrigado a ler uma frase no volume que a senhora míope ergue muito alto, no banco, em frente.
‌É um livro espírita, em cujo texto ele anota um aviso, letra por letra:
‌— “Tenha paciência. Fitando o sofrimento alheio, aprendemos a encontrar a felicidade que é nossa.”
‌Belarmino sente-se como sob ducha fria.
‌Nisso, no instante exato em que o bonde larga de novo, um homem pesado toma o veículo, a esbofar-se, enxugando o suor, apesar do tempo frio.
‌Senta-se rente ao escriturário preterido, e, porque um senhor vizinho lhe mostre semblante mais ameno, fala-lhe à queima roupa:
‌— Vida penosa! Não agüento mais!...
‌— É, meu caro amigo! — disse o companheiro anônimo — cada qual neste mundo tem sua quota de aflição...
‌Porque o bonde passasse à frente de um consultório médico em que se via grande número de consulentes esperando vez, o recém-chegado observou:
‌— Vida boa é de médico! Parece que os clientes lhe trazem a sopa à boca.
‌O outro, no entanto, discordou:
‌— O senhor está enganado. Eu sou médico. Estamos presos ao sofrimento humano.
‌Cada enfermo é um problema. E os cabelos embranquecem ou caem cedo como se tivéssemos um vulcão na cabeça. De minha parte, estou fatigado. Ainda ontem vi minha mãe morrer nos meus braços, devorada pelo câncer, sem que eu lhe pudesse dar outra coisa senão anestésicos.
‌E num desabafo:
‌— Vida boa deve ser a de quem possa andar ou viajar livremente, assim como o caixeiro viajante...
‌O outro, porém, revidou:
‌— Caixeiro viajante? Não diga isso. Sou viajante comercial há quinze anos... Encontro humilhações por toda parte, separado da família na maior parte do tempo... E, para cúmulo do azar, fui responsabilizado inocentemente por um desfalque de quatrocentos mil cruzeiros... Devedores astuciosos conseguiram envolver-me nisso, sem que eu tenha culpa...
‌Belarmino queria continuar ouvindo, mas uma senhora triste entrou na parada próxima, carregando um pequenino doente. Faixa sanguinolenta envolvia-lhe os olhos.
‌— Que foi? — dessa vez foi o próprio Cintra quem perguntou, lembrando os filhos.
‌E a senhora:
‌— Meu filhinho perdeu os olhos com a explosão de uma bomba.
‌Belarmino procura consolá-la.
‌Daí a instantes, o funcionário, transformado, desce e entra no gabinete da chefia.
‌O diretor recebe-o, evidentemente irritado.
‌Mas Belarmino fala, humilde:
‌— Doutor, antes de tudo, quero pedir-lhe desculpas por minha carta violenta e ofensiva... Eu não tinha razão!
‌O chefe sorriu, como quem se livrara de um desastre iminente, e falou, alegre:
‌— Oh! Graças a Deus, você entendeu por fim... As injunções políticas são pedras no caminho... Somos companheiros, Belarmino. Não perca a esperança. A promoção virá breve...
‌Mas Belarmino sorri também, e roga:
‌— Doutor, peço-lhe! Não se preocupe comigo! Eu estava perturbado.
‌E despediu-se tranqüilo, para voltar ao trabalho.
‌Mas, no dia seguinte, o chefe procurou-o, com excelentes informes, e Belarmino contou-lhe a história viva da frase que lera de escantilhão. 
🌷🌺🌷
Espírito Hilário SilvaDo Livro: Almas em Desfile, Médium: Francisco Cândido Xavier.


‌MENSAGEM DO ESE:
‌Destinação da Terra. Causas das misérias humanas
‌Muitos se admiram de que na Terra haja tanta maldade e tantas paixões grosseiras, tantas misérias e enfermidades de toda natureza, e daí concluem que a espécie humana bem triste coisa é. Provém esse juízo do acanhado ponto de vista em que se colocam os que o emitem e que lhes dá uma falsa idéia do conjunto. Deve-se considerar que na Terra não está a Humanidade toda, mas apenas uma pequena fração da Humanidade. Com efeito, a espécie humana abrange todos os seres dotados de razão que povoam os inúmeros orbes do Universo. Ora, que é a população da Terra, em face da população total desses mundos? Muito menos que a de uma aldeia, em confronto com a de um grande império. A situação material e moral da Humanidade terrena nada tem que espante, desde que se leve em conta a destinação da Terra e a natureza dos que a habitam.

‌Faria dos habitantes de uma grande cidade falsíssima idéia quem os julgasse pela população dos seus quarteirões mais íntimos e sórdidos. Num hospital, ninguém vê senão doentes e estropiados; numa penitenciária, vêem-se reunidas todas as torpezas, todos os vícios; nas regiões insalubres, os habitantes, em sua maioria são pálidos, franzinos e enfermiços. Pois bem: figure-se a Terra como um subúrbio, um hospital, uma penitenciaria, um sítio malsão, e ela é simultaneamente tudo isso, e compreender-se-á por que as aflições sobrelevam aos gozos, porquanto não se mandam para o hospital os que se acham com saúde, nem para as casas de correção os que nenhum mal praticaram; nem os hospitais e as casas de correção se podem ter por lugares de deleite.

‌Ora, assim como, numa cidade, a população não se encontra toda nos hospitais ou nas prisões, também na Terra não está a Humanidade inteira. E, do mesmo modo que do hospital saem os que se curaram e da prisão os que cumpriram suas penas, o homem deixa a Terra, quando está curado de suas enfermidades morais.
‌ 
‌(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. III, itens 6 e 7)

sábado, 30 de maio de 2020

Busca o equilíbrio



Este teu cansaço contínuo, acompanhado de insatisfação e de mau humor, é um sinal vermelho de perigo em tua vida.

Resulta da maneira irregular de como vens aplicando os teus recursos e energias, sem o competente refazimento.

Não te bastará dormir, dar descanso ao corpo, se permaneceres emocionalmente
inquieto, ansioso.

Assim, dá um balanço dos teus atos, medita em profundidade e perceberás que te está faltando o "pão do espírito", que nutre e reconforta.

Reorganiza vida e busca o equilíbrio,
enquanto é tempo.
🕊️🌼🕊️
Joanna de Ângelis







MENSAGEM DO ESE:

A ingratidão dos filhos e os laços de família (II)

Ó espíritas! compreendei agora o grande papel da Humanidade; compreendei que, quando produzis um corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir; inteirai-vos dos vossos deveres e ponde todo o vosso amor em aproximar de Deus essa alma; tal a missão que vos está confiada e cuja recompensa recebereis, se fielmente a cumprirdes. Os vossos cuidados e a educação que lhe dareis auxiliarão o seu aperfeiçoamento e o seu bem-estar futuro. Lembrai-vos de que a cada pai e a cada mãe perguntará Deus: Que fizestes do filho confiado à vossa guarda? Se por culpa vossa ele se conservou atrasado, tereis como castigo vê-lo entre os Espíritos sofredores, quando de vós dependia que fosse ditoso. Então, vós mesmos, assediados de remorsos, pedireis vos seja concedido reparar a vossa falta; solicitareis, para vós e para ele, outra encarnação em que o cerqueis de melhores cuidados e em que ele, cheio de reconhecimento, vos retribuirá com o seu amor.

Não escorraceis, pois, a criancinha que repele sua mãe, nem a que vos paga com a ingratidão; não foi o acaso que a fez assim e que vo-la deu. Imperfeita intuição do passado se revela, do qual podeis deduzir que um ou outro já odiou muito, ou foi muito ofendido; que um ou outro veio para perdoar ou para expiar. Mães! abraçai o filho que vos dá desgostos e dizei convosco mesmas: Um de nós dois é culpado. Fazei-vos merecedoras dos gozos divinos que Deus conjugou à maternidade, ensinando aos vossos filhos que eles estão na Terra para se aperfeiçoar, amar e bendizer. Mas oh! muitas dentre vós, em vez de eliminar por meio da educação os maus princípios inatos de existências anteriores, entretêm e desenvolvem esses princípios, por uma culposa fraqueza, ou por descuido, e, mais tarde, o vosso coração, ulcerado pela ingratidão dos vossos filhos, será para vós, já nesta vida, um começo de expiação.
A tarefa não é tão difícil quanto vos possa parecer. Não exige o saber do mundo. Podem desempenhá-la assim o ignorante como o sábio, e o Espiritismo lhe facilita o desempenho, dando a conhecer a causa das imperfeições da alma humana.
Desde pequenina, a criança manifesta os instintos bons ou maus que traz da sua existência anterior. A estudá-los devem os pais aplicar-se. Todos os males se originam do egoísmo e do orgulho. Espreitem, pois, os pais os menores indícios reveladores do gérmen de tais vícios e cuidem de combatê-los, sem esperar que lancem raízes profundas. Façam como o bom jardineiro, que corta os rebentos defeituosos à medida que os vê apontar na árvore. Se deixarem se desenvolvam o egoísmo e o orgulho, não se espantem de serem mais tarde pagos com a ingratidão. Quando os pais hão feito tudo o que devem pelo adiantamento moral de seus filhos, se não alcançam êxito, não têm de que se inculpar a si mesmos e podem conservar tranqüila a consciência. À amargura muito natural que então lhes advém da improdutividade de seus esforços, Deus reserva grande e imensa consolação, na certeza de que se trata apenas de um retardamento, que concedido lhes será concluir noutra existência a obra agora começada e que um dia o filho ingrato os recompensará com seu amor. (Cap. XIII, nº 19.)

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XIV, item 9.)
🌼🕊️🌼🕊️🌼🕊️🌼

SUPERIORIDADE


Jamais te consideres, em relação aos outros, em situação de superioridade.


Não converses oprimindo ou desconsiderando a opinião alheia.


Não menosprezes, ao teu lado, a presença do teu irmão.


Valoriza a quem, do ponto de vista social ou cultural, não se nivela a ti.


A ninguém trates com descaso ou indiferença.


Não imagines perda de tempo o minuto de atenção que concedas ao amigo que te procura.


O egoísta só se ocupa com aquilo que é de seu interesse.


Não te antecipes a quem esteja tentando explicar-se junto a ti, efetuando rodeios com a palavra.


A caridade que humilha é uma mão que se estende sobre o abismo e não uma ponte que se atravessa, encurtando distâncias.


Muitos gostariam tão-somente que os tratasses como teu igual, a fim de que se sentissem valorizados.


Modula, pois, inclusive, a tua voz, quando te sentires interpelado por alguém que aparentemente te incomode.


Dizem que os anjos encarregados por Deus de ouvir as preces que os genuflexos homens lhe endereçam da Terra, igualmente, se postam de joelhos.
****************************
Dias Melhores - Irmão José

sexta-feira, 29 de maio de 2020

MUDANÇA: O VELHO X O NOVO



Não pense você que, pelo fato de ter sido de um jeito durante toda a sua vida, você não pode mudar. A qualquer momento é possível fazer uma reformulação dos valores internos e encarar a vida de outra forma. Basta não dar importância ao velho e permitir-se a renovação, acreditar nos potenciais que existem em você.

Ao mudar as estruturas mentais, você estará fazendo uma completa reformulação em sua vida. Mesmo que as situações ao redor continuem iguais, você vai encará-las de forma diferente. A mudança interior é fundamental para alterar o curso de sua existência.

Resta saber se você está mesmo disposto a se transformar ou se prefere continuar com a mesma cabeça.
 🌼🕊️🌼

Livro: Metafísica da Saúde, Volume 1: Sistemas Respiratório e Digestivo
Valcapelli, Gasparetto
Centro de Estudos Vida & Consciência Editora




MENSAGEM DO ESE:

Salvação dos ricos


Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará a outro, ou se prenderá a um e desprezará o outro. Não podeis servir simultaneamente a Deus e a Mamon. (S. LUCAS, cap. XVI, v. 13.)

Então, aproximou-se dele um mancebo e disse: Bom mestre, que bem devo fazer para adquirir a vida eterna? — Respondeu Jesus: Por que me chamas bom? Bom, só Deus o é.

 Se queres entrar na vida, guarda os mandamentos. — Que mandamentos? retrucou o mancebo. Disse Jesus: Não matarás; não cometerás adultério; não furtarás; não darás testemunho falso. — Honra a teu pai e a tua mãe e ama a teu próximo como a ti mesmo.

O moço lhe replicou: Tenho guardado todos esses mandamentos desde que cheguei à mocidade. Que é o que ainda me falta? — Disse Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me.

Ouvindo essas palavras, o moço se foi todo tristonho, porque possuía grandes haveres. — Jesus disse então a seus discípulos: Digo-vos em verdade que bem difícil é que um rico entre no reino dos céus. — Ainda uma vez vos digo: É mais fácil que um camelo passe pelo buraco de uma agulha, do que entrar um rico no reino dos céus. 

(S. MATEUS, cap. XIX, vv. 16 a 24. — S. LUCAS, cap. XVIII, vv. 18 a 25. — S. MARCOS, cap. X, vv. 17 a 25.)

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XVI, itens 1 e 2.)

quinta-feira, 28 de maio de 2020

O lado bom


Exila das províncias da tua vida
a maldade.

Rebate o pensamento doentio com o saudável;
corta a rede perniciosa das suspeitas
injustificáveis com a tesoura da
confiança no teu próximo.

É tormentoso viver armado contra os outros,
ver primeiro o lado negativo,
detectar a imperfeição.

Ninguém há, na Terra, sem defeitos,
como não existe uma só pessoa
que não possua também
virtude, por pior que este indivíduo seja.
Procura o lado bom de todos
e te descobrirás bem,
renovado e afável.
🌼🕊️🌼
Joanna de Ângelis
Divaldo Franco





MENSAGEM DO ESE:

Preservar-se da avareza

Então, no meia do turba, um homem lhe disse: Mestre, dize a meu irmão que divida comigo a herança que nos tocou. — Jesus lhe disse: Ó homem! quem me designou para vos julgar, ou para fazer as vossas partilhas? — E acrescentou: Tende o cuidado de preservar-vos de toda a avareza, seja qual for a abundância em que o homem se encontre, sua vida não depende dos bens que ele possua.

Disse-lhes a seguir esta parábola: Havia um rico homem cujas terras tinham produzido extraordinariamente — e que se entretinha a pensar consigo mesmo, assim: Que hei de fazer, pois já não tenho lugar onde possa encerrar tudo o que vou colher? — Aqui está, disse, o que farei: Demolirei os meus celeiros e construirei outros maiores, onde porei toda a minha colheita e todos os meus bens. — E direi a minha alma: Minha alma, tens de reserva muitos bens para longos anos; repousa, come, bebe, goza. Mas, Deus, ao mesmo tempo, disse ao homem: Que insensato és! Esta noite mesmo tomar-te-ão a alma; para que servirá o que acumulaste?
É o que acontece àquele que acumula tesouros para si próprio e que não é rico diante de Deus.
 (S. LUCAS, cap. XII, vv. 13 a 21.)

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XVI, item 3.


🌼🕊️🕊️



Aprender e Retificar



Não há experiência sem preço.


Tudo na vida corresponde a certo resultado.


Por isso mesmo, conhecemos no mundo o verbo aprender e o verbo retificar.


A escolha determina o trabalho.


O trabalho mede as qualidades do espírito.


Um homem demandará um diploma universitário que lhe confira direito ao exercício nessa ou naquela profissão liberal.


Com semelhante desígnio, porém, não atinge a meta à custa de expectação e votos ardentes.


O programa a concretizar-se requer estudo, com larga despesa de atividade e atenção.


Anos a fio são gastos naturalmente em disciplina, até que a láurea lhe consagre a tarefa.


É isso verdadeiramente aprender. Mas se o profissional abusa do título conquistado para ferir os outros, é justo assuma compromissos perante a vida que somente no labor da expiação conseguirá redimir.


Temos aqui o reajuste em ação, compelindo a criatura em genuíno retificar.


Diante do sofrimento, é imperioso esquecer a antiga noção do crime e castigo, porquanto a evolução não aparece na calha da gratuidade.


Refazimento é reequilíbrio.


Toda educação pede renúncia e todo aprimoramento pede serviço.


A paz verdadeira nunca foi prêmio à ociosidade.


Todas as grandes realizações clamam por grandes lutas.


Em razão disso, se é certo que ressarciremos com mais trabalho os benefícios da vida de que estejamos abusando, é preciso saibamos escolher, com determinação e firmeza, o caminho do esforço máximo na exaltação do bem, a fim de que sejamos considerados, perante a Lei, na condição de operários fiéis ao salário da Eterna Luz
**************************
Do Livro: Nascer e Renascer – Psicografia de Francisco C. Xavier – pelo Espírito Emmanuel

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Embalagem Verbal



Nota com que revestes
O que escreves ou falas.

Aspereza no verbo
Cria mais aspereza.

Sarcasmo na palavra
Gera obscenidade.

Muita gente adoece
Da emoção maltratada.

Nem doçura demais,
Nem crônico azedume.

O conselho só vale
Na embalagem que mostra.
🌼🕊️🌼
Emmanuel - Do livro: Doutrina Escola, Médium: Francisco Cândido Xavier - Espíritos Diversos



MENSAGEM DO ESE:

A paciência

A dor é uma bênção que Deus envia a seus eleitos; não vos aflijais, pois, quando sofrerdes; antes, bendizei de Deus onipotente que, pela dor, neste mundo, vos marcou para a glória no céu.

Sede pacientes. A paciência também é uma caridade e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil de todas. Outra há, porém, muito mais penosa e, conseguintemente, muito mais meritória: a de perdoarmos aos que Deus colocou em nosso caminho para serem instrumentos do nosso sofrer e para nos porem à prova a paciência.

A vida é difícil, bem o sei. Compõe-se de mil nadas, que são outras tantas picadas de alfinetes, mas que acabam por ferir. Se, porém, atentarmos nos deveres que nos são impostos, nas consolações e compensações que, por outro lado, recebemos, havemos de reconhecer que são as bênçãos muito mais numerosas do que as dores. O fardo parece menos pesado, quando se olha para o alto, do que quando se curva para a terra a fronte.

Coragem, amigos! Tendes no Cristo o vosso modelo. Mais sofreu ele do que qualquer de vós e nada tinha de que se penitenciar, ao passo que vós tendes de expiar o vosso passado e de vos fortalecer para o futuro. Sede, pois, pacientes, sede cristãos. Essa palavra resume tudo. 

— Um Espírito amigo. (Havre, 1862.)

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. IX, item 7.)

🕊️🌼🕊️

Façamos silêncio


Em meio ao burburinho ensurdecedor onde todos falam e nada se pode escutar, nos afastemos do gládio acalourado das palavras, nos recolhendo ao cantinho honroso de nossa insignificância, e humildemente façamos silêncio! 

Sobre pesadas refregas verbais, onde forças contrárias digladiam entre si, não poupando nem a razão e tão pouco o bom senso, afastemo-nos sem demoras do gládio desnecessário das palavras, e humildemente façamos silêncio! 

Perante os inimigos ferrenhos, que se levantam odiosos no interior do lar, ainda recalcitrantes sobre passados escabrosos, a nos arremessar o punhal fino das palavras, saibamos nos afastar do ricochete ferino das intenções, e humildemente façamos silêncio! 

Perante os inimigos seculares que nos espreitam pelas vias comuns da vida, ansiosos por travar disputas acaloradas no campo das palavras, roubando-nos a paz e dilapidando o nosso equilíbrio, saibamos nos afastar destas provocações maliciosas e mesquinhas, e humildemente façamos silêncio. 

Nas horas do dia em que a ansiedade quiser nos roubar a paz, arrojando-nos por sobre as discussões estéreis e improdutivas em torno do nada ou de coisa nenhuma, saibamos identificar a cilada das palavras, afastando-nos do caos destas discussões tão maléficas ao equilíbrio, e humildemente façamos silêncio. 
E em fazendo silêncio, não deixemos a nossa mente ziguezaguear pelos pedregais do ódio, da raiva e das vinganças torpes. Imediatamente valendo-nos da profilaxia do silêncio, aproveitemos estes instantes para humildemente voltarmos ao Evangelho de Jesus, recordando o Meigo amigo a nos dizer: 

"Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; pois o que passa daí, vem do Maligno."*

Alma querida, saibamos trabalhar a humildade do silêncio, administrar o silêncio e valorizar o silêncio interior, lembrando que nas bocas vigilantes, não penetram as moscas do arrependimento. 

***************************
Scheilla
*MT 5.37
Médium
J Avellar

terça-feira, 26 de maio de 2020

A Provação


A provação que se nos revela de impacto assemelha-se a golpe destruidor.

Quando isso, porventura, te aconteça, é natural que sofras e chores; entretanto, não te fixes em qualquer condição negativa. 

Prossegue nas tarefas que a Sabedoria da Vida te confiou.

Recorda: quando uma bomba explode numa longa vereda talhada na pedra, quase sempre surgem janelas abertas nas paredes da rocha, pelas quais é possível descortinar amplos caminhos que mais facilmente trilharemos em busca de paz e de elevação.
🌺🌷🌺
Emmanuel
Chico Xavier




MENSAGEM DO ESE:

Os superiores e os inferiores

A autoridade, tanto quanto a riqueza, é uma delegação de que terá de prestar contas aquele que se ache dela investido. Não julgueis que lhe seja ela conferida para lhe proporcionar o vão prazer de mandar; nem, conforme o supõe a maioria dos potentados da Terra, como um direito, uma propriedade. Deus, aliás, lhes prova constantemente que não é nem uma nem outra coisa, pois que deles a retira quando lhe apraz. Se fosse um privilégio inerente às suas personalidades, seria inalienável. A ninguém cabe dizer que uma coisa lhe pertence, quando lhe pode ser tirada sem seu consentimento. Deus confere a autoridade a título de missão, ou de prova, quando o entende, e a retira quando julga conveniente.

Quem quer que seja depositário de autoridade, seja qual for a sua extensão, desde a do senhor sobre o seu servo, até a do soberano sobre o seu povo, não deve olvidar que tem almas a seu cargo; que responderá pela boa ou má diretriz que dê aos seus subordinados e que sobre ele recairão as faltas que estes cometam, os vícios a que sejam arrastados em conseqüência dessa diretriz ou dos maus exemplos, do mesmo modo que colherá os frutos da solicitude que empregar para os conduzir ao bem. Todo homem tem na Terra uma missão, grande ou pequena; qualquer que ela seja, sempre lhe é dada para o bem; falseá-la em seu princípio é, pois, falir ao seu desempenho.
Assim como pergunta ao rico: “Que fizeste da riqueza que nas tuas mãos devera ser um manancial a espalhar a fecundidade ao teu derredor”, também Deus inquirirá daquele que disponha de alguma autoridade: “Que uso fizeste dessa autoridade? Que males evitaste? Que progresso facultaste? Se te dei subordinados, não foi para que os fizesses escravos da tua vontade, nem instrumentos dóceis aos teus caprichos ou à tua cupidez; fiz-te forte e confiei-te os que eram fracos, para que os amparasses e ajudasses a subir ao meu seio.”

O superior, que se ache compenetrado das palavras do Cristo, a nenhum despreza dos que lhe estejam submetidos, porque sabe que as distinções sociais não prevalecem às vistas de Deus. Ensina-lhe o Espiritismo que, se eles hoje lhe obedecem, talvez já lhe tenham dado ordens, ou poderão dar-lhas mais tarde, e que ele então será tratado conforme os haja tratado, quando sobre eles exercia autoridade.

Mas, se o superior tem deveres a cumprir, o inferior, de seu lado, também os tem e não menos sagrados. Se for espírita, sua consciência ainda mais imperiosamente lhe dirá que não pode considerar-se dispensado de cumpri-los, nem mesmo quando o seu chefe deixe de dar cumprimento aos que lhe correm, porquanto sabe muito bem não ser lícito retribuir o mal com o mal e que as faltas de uns não justificam as de outrem. Se a sua posição lhe acarreta sofrimentos, reconhecerá que sem dúvida os mereceu, porque, provavelmente, abusou outrora da autoridade que tinha, cabendo-lhe, portanto, experimentar a seu turno o que fizera sofressem os outros. Se se vê forçado a suportar essa posição, por não encontrar outra melhor, o Espiritismo lhe ensina a resignar-se, como constituindo isso uma prova para a sua humildade, necessária ao seu adiantamento. Sua crença lhe orienta a conduta e o induz a proceder como quereria que seus subordinados procedessem para com ele, caso fosse o chefe. Por isso mesmo, mais escrupuloso se mostra no cumprimento de suas obrigações, pois compreende que toda negligência no trabalho que lhe está determinado redunda em prejuízo para aquele que o remunera e a quem deve ele o seu tempo e os seus esforços. Numa palavra: solicita-o o sentimento do dever, oriundo da sua fé, e a certeza de que todo afastamento do caminho reto implica uma dívida que, cedo ou tarde, terá de pagar.

 — François-Nicolas-Madeleine, Cardeal Morlot. (Paris, 1863.)

(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XVII, item 9.)


PARA RENOVAR-NOS.....



Não espere viver sem problemas, de vez que problemas são ingredientes de evolução, necessários ao caminho de todos.


Ante os próprios erros, não descambe para o desculpismo e sim enfrente as consequências deles, a fim de retificar-se, como quem aproveite pedras para construção mais sólida.


Não perca tempo e serenidade perante as prováveis decepções da estrada, porquanto aqueles que supõem decepcioná-lo estão decepcionando a si mesmos.


Reflita sempre antes de agir, a fim de que seus atos sejam conscientizados. Não exija perfeição nos outros e nem mesmo em você, mas procure melhorar-se quanto possível.


Simplifique seus hábitos. Experimente humildade e silêncio, toda vez que a violência ou a irritação apareçam em sua área.


Comunique seus obstáculos apenas aos corações amigos que se mostrem capazes de auxiliar em seu benefício com discrição e bondade.


Diante dos próprios conflitos, não tente beber ou dopar-se, buscando fugir da própria mente, porque de toda ausência indébita você voltará aos estragos ou necessidades que haja criado no mundo íntimo, a fim de saná-los.,


Lembre-se de que você é um espírito eterno e, se você dispõe da paz na consciência, estará sempre inatingível a qualquer injúria ou perturbação. 
*****************************
André Luiz
do livro "Coragem"
Francisco Cândido Xavier