quinta-feira, 4 de maio de 2017

Arabescos



Embora a crítica azeda,

Atende ao dever cristão.

A inveja combate sempre

O esforço da elevação.
 
***

Ilumina a própria senda,

Faze-te sábio e melhor.

De todos os males juntos

A ignorância é o maior.
 
***
 
A fortuna, muitas vezes,

É neblina deletéria.

A riqueza sem virtude

É mais triste que a miséria.
 
***
 
Não te esqueças da verdade,

Recorda que para a morte

Não vale bolsa repleta,

Nem existe casa forte.
 
***
 
Trabalha, constantemente,

Firme e fiel ao teu posto.

Descanso desnecessário

É 
plantação de desgosto.
 
***
 
Ao despeito envenenado

A retidão não se rende.

De pessoa desbriada

O insulto não ofende.
 
***
 
Dos vermes de ruína e morte,

Que atacam o fruto e a flor,

O mais cruel é a preguiça

Que mora no lavrador.
 
***
 
Respeita a moderação.

Quem com pouco se compraz,

Entre as bênçãos da alegria,

Serve muito e vive em paz.
*************************
 Casimiro Cunha 
 Francisco Cândido Xavier  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário.