sábado, 20 de maio de 2017

Autoconhecimento


Qual o meio prático mais eficaz para se melhorar nesta vida é resistir ao arrastamento do mal?
- Um sábio da antiguidade vos disse: Conheça-te a ti mesmo.
(“O Livro dos Espíritos” questão 919)

Sem dúvida, autoconhecer-se é constatar a sua essência espiritual e a sua origem Divina; em outras palavras, autoconhecer-se é tomar consciência do seu Deus, interno, vivendo em perfeita integração consigo mesmo...

Quem procura autoconhecer-se despreza o que é transitório, porquanto verifica que a matéria está sujeita a ininterruptas transformações; quem se esforça pelo autoconhecimento exercita o desapego, não valorizando aquilo que se constitui em elemento gerador de karma negativo.

O espiritismo, revivendo o evangelho, ensina o homem a autoconhecer-se através do próximo; o próximo é o seu laboratório na tarefa de mergulhar mais profundamente na própria intimidade.
..
Os que se isolam, fugindo ao contato social, aspirando a uma ascese solitária, não logram o seu intento, por quanto o próximo é o estimulo externo que lhe põe à mostra o interior, lhes possibilitando o aperfeiçoamento das qualidades e o combate sistemático às deficiências.

Quem vive disperso de si mesmo não se descobre, e consequentemente, não reverencia a vida; quem não se ama, com certeza, não amará aquele com os quais foi chamado a viver...
Sócrates, a quem se atribuiu a frase em questão – “Conhece-te a ti mesmo”

Através da chamada maiêutica, induzia a todos a tomarem consciência da verdade que existe no âmago de cada ser; quando questionado, questionava e, das abordagens mais simples, chegava
às verdades mais complexas. E, porque libertava pensamento foi condenado à cicuta.

Jesus afirmava que o reino de Deus se encontrava dentro de cada um e concitava os homens a que
fizessem resplandecer a própria luz; “sede perfeitos como perfeito é o pai celestial”  – exortava-nos a todo instante. E porque ensinou o caminho, foi morto na cruz A introspecção para o autoconhecimento só é válida quando o homem se dispõe, após, a descentrar-se, ou seja, projetar-se para fora no anseio de elevar-se...

Deus, Senhor do conhecimento perfeito, exteriorizou-se na criação – não quis bastar-se a si mesmo, não desejou ficar sozinho...

O autoconhecimento que gera o egoísmo é perturbação; os que sobem a montanha e não descem para contatar os que permanecem no vale, ignorando a própria realidade, não se posiciona na altura
em que se creem.

Os grandes luminares da espiritualidade, com o propósito de mais ascender, tomam a iniciativa de se corporificarem no Planeta – é da lei:
Mais possui quem mais abre mão do que tem; mais é quem mais aspira ao não ser...
Constatando a sua essência espiritual, o homem avança vertiginosamente na escala de valores em que a vida se estrutura, porque não valoriza o desejo – segundo Buda, o móvel de todo sofrimento humano.

Neste sentido, uma vez mais apontaríamos a solidariedade, ou seja, a vivência do amor na pratica da caridade , como sendo para a criatura o melhor exercício de autoconhecimento, porquanto na ação infatigável do Bem, o homem estará sempre em contato consigo mesmo, com o próximo e, consequentemente, com Deus lhe intermediando os atributos e as atitudes.

A reflexão, originária da leitura edificante e da prece, é, sem dúvida, importante, todavia não passa de experiência teórica não sancionada pelo exemplo. Ninguém se autoconhece sem o concurso das próprias mãos mergulhadas na ação transformadora do mundo!
************************
Irmão José
Carlos A Baccelli
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário.