quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

SOLUÇÃO IDEAL




Perdeste a fé em ti mesmo e pensas acabar com tudo?

Carregas tamanha desilusão, no tocante aos outros, que não mais encontras razão para viver?

- Acalentas propósito oculto e absolutamente imanifesto, de desertar da existência?

Calma! Ainda não tentaste todos os recursos nos problemas que te espezinham.

Espera! ? Muitas equações existem que não foram lembradas.

Meditai ! A esperança não pode morrer assim.

Sofreia ímpetos, pacifica pensamentos, ventila o cérebro e desanuvia o coração. Quem tem direito de desfazer-se da vida? E, além disso, quem já usufruiu todos os encantos e arrebatamentos, lícitos e naturais, que a experiência humana pode oferecer?

Sempre há uma solução que ainda não foi aventada; uma ideia que ninguém teve; uma pessoa a que se não recorreu; uma saída até agora não entrevista.

Hás de convir que a tua vida na Terra nem sempre foi um caminho em fogo, como acontece agora, e concordarás em que já colheste momentos de júbilo inolvidável impossível acreditar que não te recordes, com sincera saudade, de episódios felizes que a lembrança, de vez a vez, te induz a revisar na memória enternecida.

A romagem oscila sempre entre a dor e o prazer, a lágrima e o sorriso. Se presentemente troa a tempestade, logo mais se abrirá o horizonte na apoteose do arco-íris.

A ponderação, até hoje, onde aparece no mundo, consegue evitar o desastre. O teu caso não será exceção.

Jesus, tão discutido, tão mal-interpretado e, contraditoriamente, tão amado, é a fórmula ideal. E sua voz ainda nos ecoa aos ouvidos: - "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei."

Ir a Jesus demanda atitudes específicas, nas trilhas do burilamento espiritual como sustentar a esperança, reconhecer-se mais humilde, garantir a serenidade na resignação, não exagerar as próprias conveniências, sair de si mesmo, servir aos outros, perseverar no melhor.

Receberemos e receberás o alívio prometido por Ele, através do reencontro contigo na íntima superação do desencanto e do desespero, pela rendição racional à paciência e ao erguimento do Bem, quando achares a paz que supunhas fora de ti, a confiança momentaneamente eclipsada, a alegria a que te desabituaste e o anseio de viver que reabraçarás, exultante de regozijo.

Bem-aventurado és tu que choras, porque serás consolado.

O Evangelho à luz do Espiritismo, tem aquilo que procuras.

Nas mágoas e provações que te alanceiam a alma, já usaste múltiplos remédios que não te minoraram a dor, porém, não exauriste a farmacopeia da vida.

Falta-te ainda a terapêutica essencial. Experimenta Jesus.
*********************
Joaquim Murtinho
Waldo Vieira 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário.