segunda-feira, 10 de julho de 2017

Uma simples palavra


Uma simples palavra humilde e boa
 Que esclareça e reanime
Traz consigo o milagre, amplo e sublime,
Do amor que regenera e aperfeiçoa.
*
  Um “sim” ou um “não”, na graça de um sorriso,
Uma frase de estímulo e ternura,
Muitas vezes, restauram de improviso
O coração chagado de amargura.
*
  Mas a palavra contundente e rude,
Que exprime acusação, miséria e ofensa,
Mata os germens da paz e da virtude
E traz consigo as trevas da descrença.
*
  Frequentemente, o golpe inesperado
Do mal escuro que nos dilacera
Procede do veneno disfarçado
Na língua que vergasta ou desespera.
*
  Bendita a frase calma e enobrecida!
Bendito o verbo doce, amigo e forte!…
Uma simples palavra traz a vida.
Uma simples palavra traz a morte.
*
Carmen Cinira
Chico Xavier 



Mensagem do ESE

A melancolia
Sabeis por que, às vezes, uma vaga tristeza se apodera dos vossos corações e vos leva a considerar amarga a vida? É que vosso Espírito, aspirando à felicidade e à liberdade, se esgota, jungido ao corpo que lhe serve de prisão, em vãos esforços para sair dele. Reconhecendo inúteis esses esforços, cai no desânimo e, como o corpo lhe sofre a influência, toma-vos a lassidão, o abatimento, uma espécie de apatia, e vos julgais infelizes.
Crede-me, resisti com energia a essas impressões que vos enfraquecem a vontade. São inatas no espírito de todos os homens as aspirações por uma vida melhor; mas, não as busqueis neste mundo e, agora, quando Deus vos envia os Espíritos que lhe pertencem, para vos instruírem acerca da felicidade que Ele vos reserva, aguardai pacientemente o anjo da libertação, para vos ajudar a romper os liames que vos mantêm cativo o Espírito. Lembrai-vos de que, durante o vosso degredo na Terra, tendes de desempenhar uma missão de que não suspeitais, quer dedicando-vos à vossa família, quer cumprindo as diversas obrigações que Deus vos confiou.
Se, no curso desse degredo-provação, exonerando-vos dos vossos encargos, sobre vós desabarem os cuidados, as inquietações e tribulações, sede fortes e corajosos para os suportar. Afrontai-os resolutos. Duram pouco e vos conduzirão à companhia dos amigos por quem chorais e que, jubilosos por ver-vos de novo entre eles, vos estenderão os braços, a fim de guiar-vos a uma região inacessível às aflições da Terra. — François de Genève. (Bordéus.)
 
(Fonte: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. V, item 25.)

 

Um comentário:

  1. Que lindo!! Amanhecer lendo uma preciosidade dessa, estando no hospital com minha filha internada há quase uma semana foi muito especial. Revigora a energia, renova o ânimo. Que assim seja.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário.